BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Vítimas da mídia instantânea

Tenho várias amigas que são como eu já fui: afobadas, querem tudo resolvido na hora, falam sem pensar (muitas vezes) e são vítimas da globalização tecnológica. Sim, vítimas. Em meio a tantas facilidades que a tecnologia nos proporciona, eis que cito um grande defeito, sob um ponto de vista mega prático para a VIDA PESSOAL: a instantaneidade da mídia. É. Sou uma comunicadora, mas tenho uma baita impaciência com uma mídia instantânea que consegue me descabelar: o tal do MSN. Ali, num instante, você consegue falar com o seu paquera que está lá no Alasca, consegue saber como está a sua amiga que você não fala há tanto tempo. Mas consegue, também, falar coisas “no calor da hora”, coisas das quais, em grande parte das vezes, você ligeiramente se arrepende após o teclar do enter.

Antigamente, quando algo drástico acontecia na sua vida pessoal, você fazia o quê? (Adeptos a essa época, respondam!!) – escrevia uma carta amargurada, derramando lágrimas sobre a mesma que chegavam até a borrar a caneta tinteira (ok, não é pra tanto). Você transpõe a sua alma naquela carta, os seus sentimentos, as suas revoltas momentâneas. Você tem a convicção de que o remetente vai se sensibilizar com aquilo. E, logo após uma noite de sono, lê novamente aquela coisa horrorosa e pensa “não mando isso nem que me paguem, como sou idiota”. É, experiência própria. Escrevi uma dessas cartas e tenho até hoje guardada na minha gaveta, e toda vez que eu a leio dou graças a Deus por não ter chegado às mãos do dito cujo.

Pois hoje a realidade não é bem assim. Quando você se revolta, instantaneamente faz o quê? Escreve um e-mail, um depoimento no orkut, externa sua raiva via twitter ou, o pior, vai direto às vias de fato e fala com o motivo da sua revolta via MSN (aaargh). Clica para enviar, nem pensa, nessa hora é quase impossível estar consciente sobre seus atos. Eis um ato que pode estragar um relacionamento, ou deixa-lo suscetível a coisas, no mínimo, erradas.

Não sou contra qualquer tipo de mídia social, muito pelo contrário, sou apaixonada por elas (menos pelo MSN, enfim). Só acredito que tenhamos que pensar muito mais antes de usá-las para desabafar coisas de momento. Mais tolerância para com elas, talvez. Claro, há pessoas que externam seus sentimentos e não se arrependem depois. Mas acredito que essa parcela da população cibernética seja muito pequena... Por isso, peço um pouco mais de paciência consigo mesmo. Sei que é difícil, pode parecer quase impossível, mas, acredite nisso – respire um pouco antes de querer falar tudo que vem à sua mente. Pensar mais faz bem. Aliás, como diz um conhecido meu “tem coisas que só se pensa, e NÃO SE DIZ”. Quem sabe escreva em uma carta o que você queira transpor. Depois releia, no mínimo, três vezes, deixando passar uma hora da sua escrita. Com certeza você poderá mudar de opinião. Use a mídia instantânea a seu favor, não deixe que ela lhe torne mais uma vítima dessa comunicação-globalização-tecnologia-instantaneamente. Confesso que me salvei de muitas encrencas pensando dessa maneira – e já me ferrei inúmeras vezes por deixar de pensar assim. #Ficadica

6 argumentaram:

Cℓáu∂ia disse...

AI ai.. É tenso ser vitima disso. SORTE que.. to aprendendo a me controlar #orgulhodemimmesma

Mas é tenso =/
Quantas vezes nos arrependemos, mas digo: Algumas vezes umas loucuras que só a midia instantânea causa, são boas ;) Mas claro..apenas algumas.

PraQueLadoVou disse...

Concordo com a Bia.
Eu ainda sou da época das cartinhas cheias de ressentimento, rsrsrrsr. Umas eu entreguei (sim, que desastre). Outras eu piquei em pedacinhos e toquei fogo.
Quem dera se as pessoas pensassem um pouco mais antes de escrever tanta baboseira. Todos temos desavenças: a diferença entre as pessoas é a maneira q elas aprendem a lidar com elas.
Passou-se o tempo em que as pessoas tinham caráter pra falar as coisas na cara. Mas eu tenho certeza que, se fosse pra verbalizar tudo que pensam, esses valentões virtuais pensariam duas vezes. E isso serve praquele anônimo chato q comentou horrores no teu post sobre cigarro.. Aff

Amanda disse...

Nossa, achei que isso só acontecesse comigo.
Depois de já ter mandando tantos depoimentos/recados impensados, tive que encontrar uma solução pra isso. Passei a externar todos esses sentimentos em um documento do Word e salvar. É impossível guardar tudo dentro de si em certos momentos.
Meia hora depois já me dou conta da besteirada que escrevi e, ufa!, ninguém leu! :P

Elisa Salazar disse...

Oi Flor, tudo bom? Postei um selinho p vc no meu blog. Passa lá! ;D Bjs!

Fê Voltz disse...

Concordo com teu post, Bia...
E vc como leonina, sabe que não é fácil segurar esta impulsividade que ferve no nosso sangue... xD
Nada melhor do que pensar, repensar, avaliar, pensar mais uma vez... Agir com cautela! É difícil, principalmente naqueles momentos de emoções fortes, mas temos que tentar ter controle sobre a situação sempre..
Com o tempo, vamos aprendendo... Afinal, o ser humano por natureza é falível...
Adorei o post! Lembrei-me de muitas das nossas conversas (desabafos) de adolescente que acha que vai amar somente uma pessoa na vida... hehehe..
E muitas vezes estes nossos desabafos evitaram o envio de muitas destas cartas lamentáveis... xD
Aparece no almadivagante.blogspot.com ! ;D Postei finalmente!
Beijão, Bia!

MireliSantana disse...

Cara teu blog é muito legal!
Tô seguindo.
Aceita parceria?
http://deesneeurando.blogspot.com/